quinta-feira, 31 de julho de 2008

Futilidade!

Achei uma lojinha que vende coisas pra casa assim... muito baratas, do lado da escola (estou estudando Espanhol, por isso tenho andado sumida e com preguiça de escrever).

Eu já havia comprado umas coisinhas bacanas semana passada, como um saleiro + pimenteiro que são dois bonequinhos abraçados, (para dar de presente para alguém, porque já temos essas duas coisas em casa), tipo assim, muito design! Aqueles potes de mantimento bacanérrimos em vidro e Aço Inoxidável, mas nenhum deles bate o ACHADO de hoje!

Eu tenho um lixinho para cozinha, que é IGUAL aquele onde o Manda-Chuva e o Batatinha moravam!!!
Só faltava um deles dentro da lata de lixo, toda de metal... To adorando minha compra do dia!

E essa é mais uma das inutilidades para casa que eu vou querer levar pro Brasil!

Céus!

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Barcelona, 25 Julho 2008

Passei para o pré-avançado!!!
E como diria o Cebolinha no seu "Plano Infalível": Viva eu! Viva eu! Viva eu!

Tá, para quem não entendeu nada, eu explico:
"Plano Infalível do Cebolinha" é uma historinha da Turma da Mônica a qual eu ouvia muito quando criança, e que agora tenho também no computador, além do disquinho de vinil.

Mas a explicação que está faltando mesmo, diz respeito ao por que do meu sumiço do blog, e à passagem de nível: comecei um curso para hablar Castellano. Sim, 4 semanas de intensivo, para ver se desencanto!

E sim, desencantei e está dando supercerto! Perdi o medo de falar com as pessoas, outro dia inclusive engatei um papo filosófico sobre os problemas sociais do Brasil com o chaveiro que veio desencalhar minha chave da porta do prédio... valeu a fortuna que ele cobrou, pela aula de conversação...

Enfim, fiz amiguinhos, que já foram embora ou ficaram no mesmo nível, e algumas vezes vou passear com o pessoal da escolinha.

Tá sendo bem divertido!


sexta-feira, 18 de julho de 2008

Curiosidades

Leques: aqui, muitas mulheres tem o costume de utilizar Leques! Sentam-se, tiram-nos das bolsas e começam a abanar-se.
Eu não via ninguém fazer isso, assim costumeiramente, desde que a minha Bisavó era viva.

sábado, 12 de julho de 2008

Barcelona, 12 de Julho de 2008

A gente no Brasil reclama dos prestadores de serviços, não?

Do lado de cá do Atlântico a coisa não é muito diferente.

Tenho 4 casos, que eu me lembro, fora os bancos, para contar:

1- Londres, quando nos mudamos para o apartamento, tentamos instalar uma linha telefônica em nosso nome. Santa ingenuidade!
No apartamento já havia uma linha, da mesma e única operadora que chegava até aquelas bandas de Londres. Pedimos para que a Dona do Apartamento solicitasse ao antigo morador para que desligasse a linha. Como ela era assim muito prestativa, ela nos respondeu que eles já haviam desligado.
Mas adivinha a resposta? No, Nooo, Noooo.
Enfim, pedimos à companhia que passasse a linha para o nosso nome. O serviço levaria 2 semanas para ser feito. Depois de 2 semanas, ficamos uma hora aguardando no telefone que alguém nos atendesse (sim, lá tudo é feito pelo telefone, como aí. Nada mais enervante!). Finalmente atenderam, e disseram que o primeiro telefonista que falou com o Rômulo não havia feito o pedido corretamente, então, seriam mais 2 semanas de espera.
Depois das 2 semanas, mais 1h para ser atendidos - ouvindo a gravação enervante - e nos comunicaram que o atual dono da linha não queria se desfazer dela!
MAS ELA ESTAVA LIGADA NO NOSSO APARTAMENTO!!! E nem era do DONO do AP. Mas vai entender.
Depois de mais de um mês esperando, demos um jeito brasileiro de acessar a internet.
Como conseguíamos pegar o sinal do hotel ao lado, assinamos um provedor e usávamos a página de acesso do hotel para conectar com o nosso provedor e usar a internet na nossa casa.
Tudo muito bom, pena que quando passavam aviões perdíamos a conexão.
Mas vivemos bem assim, por 9 meses!

2 - Barcelona - Aqui, pedimos a linha telefônica para a operadora de mesmo nome, e em 2 dias. SIM 2 DIAS, instalaram a linha aqui em casa. Rápido e sem dor. Só não sei se para desligar vai ser como no Brasil, impossível.

3 - Barcelona - resolvemos optar por um provedor mais barato que a Telefônica, que não fosse um que já sabemos que dá dor de cabeça. Porém, logo após o Rômulo se inscrever no serviço, a operadora que não queríamos, comprou a que assinamos... e já faz 15 dias que estamos esperando e nada ainda do modem chegar.
Ainda bem que temos a linha telefônica, e estamos usando internet do tempo da onça: discada!

4 - Londres - para entrarmos naquele apartamento onde moramos 9 meses, sem telefone, pagamos tudo direitinho como nos pediram. Lá, e aqui, não tem fiança nem fiador, mas um depósito no valor de 1 aluguel, que é devolvido na entrega do apartamento nas mesmas condições que alugado. Se tivéssemos quebrado tudo, o dinheiro seria usado para arrumar o ap.
Saímos do apartamento no dia 24/06. Hoje é 12/07, e ainda estamos esperando nos devolverem o depósito!
O Dono do apartamento tinha que ter avisado a imobiliária e o pagamento feito em 10 dias úteis depois que saíssemos do imóvel.
EU tive que avisar a imobiliária, e ainda estou correndo atrás de todo mundo para resolver o perrengue.
Incompetência existe em todo lugar!

5 - Londres - Contratamos uma empresa de mudanças para trazerem todas as coisas que acumulamos neste último ano. Livros, TV, microondas, cama para visitas, louças, etc.
Eles buscaram tudo lá no apartamento dia 23/06, uma segunda-feira.
O valor final do envio só poderiam me dar após embalarem a caixa da TV em uma caixa de madeira, para proteger. O valor final levou mais de 1 semana para chegar (o serviço previa de 2 a 4 semanas para entregarem as coisas em Barcelona).
O envio para cá só é feito após o pagamento efetuado.
Sexta-feira da semana passada finalmente tive o valor, e enviei a ordem de pagamento.
Como na segunda o dinheiro ainda estava na minha conta do banco, mandei e-mails perguntando se estava tudo bem. Na terça, recebo um e-mail me cobrando o pagamento (já enviado) pois se eu demorasse mais de 1 semana para pagar, depois do valor final informado, iriam me cobrar armazenamento das nossas coisas na Inglaterra.
Mandei um e-mail bem sério, dizendo que já havia feito o pagamento, que estava mandando de novo, dizendo que ninguém havia me dado retorno dos meus outros e-mails perguntando quando as coisas iriam chegar aqui e se estava tudo certinho.
Enfim, só na SEXTA DESSA SEMANA é que finalmente efetuaram o pagamento e despacharam as coisas para Barcelona. Agora, entre 2 a 4 semanas para as coisas chegarem aqui no nosso apartamento novo.
Ô demora!

E assim as coisas vão... não é só no Brasil que as pessoas não estão nem aí quando prestam serviços.

Mais um exemplo?
Você vai ao supermercado ou a uma loja, e se os funcionários querem repor alguma coisa na prateleira, eles não esperam que os consumidores peguem o que querem e saiam, eles se enfiam na tua frente e tu que espere para comprar.

É, o bom e velho o cliente tem sempre razão caiu em desuso pra essas bandas.

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Barcelona, 9 de Julho de 2008

Eu sei que não tenho escrito muito, mas relatar a vida de dona de casa que fica fazendo pesquisas orçamentos para o Casamento não tem lá muita graça!

Mas ontem a gente saiu a noite, e até dançar dançamos!

Os colegas de trabalho do Rômulo combinaram de beber caipirinhas, que era o prêmio do Rômulo e de mais um deles, que empataram no jogo que eles fizeram de adivinhações da Eurocopa. Quem acertasse os resultados dos jogos ganhava pontos (não, não me perguntem as regras), mas a brincadeira toda terminava com o vencedor ganhando bebidas uma noite em que eles combinassem.

A noite foi ontem, e eu fui acompanhando o Rômulo a um bar chamado Toscano Antico, numa esquina da Calle Aribal com a Paris, onde você paga a bebida, mas a comida é de graça! Coisas que só acontecem por aqui.

Finalmente conheci os colegas de trabalho deles, e me diverti muito com a mistura de idiomas falados à mesa. O Castellano, claro, português (um dos amigos do Rômulo de Porto Alegre trabalha com ele, e a mulher dele também veio daí) e Inglês.

Foi bem divertido, e todo mundo se entendia. Depois de muitas caipirinhas, e de alguns que já haviam ido embora, resolvemos sair do bar, antes que nos expulsassem, pois já era meia noite.
Fomos embora, mas sem antes ganhar dos bartenders uma dose de Chupito cada um.

Como o pessoal ainda estava empolgado, rumamos para um night club que fica ali perto, chamado Mojito.
Pelo nome de bebida cubana já dá para perceber que o bar é dedicado aos ritmos caribenhos e brasileiros. Entramos no lugar já ouvindo pagode (que "adoramos"), ganhamos uma taça de Cava (doce) cada um, e fomos para a pista de danças.
O lugar tem até aulinha de samba e gafieira, com dois brasileiros comandando a ação.
O público, era um caso a parte, uma fauna de gente feia, que fazia tempo que eu não via. Quem era gringo, dava para ver pelos olhos arregalados.
Você podia encontrar todos os tipos pessoas por lá, dos mais variados sexos, cores, trejeitos e nacionalidades, mas é claro que a predominância era brasileira.

Foi MUITO engraçado!
Tocou desde Zeca Pagodinho, Tchan (Cuidado que o Jacaré vai te pegar!), a música Olha a Onda, Dança da Manivela, entre outras pérolas das músicas - que eu odeio - brasileiras, Shakira e até um bate estaca bacaninha.

Uma coisa que percebi aqui, é que o pessoal sai pra balada tarde, depois da meia noite, como no Brasil, e diferentemente da Inglaterra.
Em Londres, por exemplo, o pessoal aproveita enquanto o metrô está funcionando para chegar aos night clubs, aqui, esse detalhe do metro fechar a meia noite durante a semana parece pouco importar.

Um pouco antes das 2h, resolvemos dar a noite por encerrada e fomos embora.

Olha, fazia tempo que eu não ria tanto!
Mas voltar lá, nunca mais.

terça-feira, 8 de julho de 2008

domingo, 6 de julho de 2008

Barcelona, 5 de Julho de 2008.

Acho que esse blog tinha que mudar de nome, agora que não moramos mais em Londres, mas isso ia ser um trabalhão, para todo mundo que tem o diário guardado como favorito, que tem link em seus blogs, etc.

Então, vai continuar sendo diário londrino, mas com a gente morando em Barcelona, ok?

Hoje a gente passou o dia todo em casa, após termos sido acordados pelo colocador do vidro do Box - finalmente vamos poder tomar banho sem molhar o banheiro todo!

Mas o que interessa hoje mesmo foi a nossa noite!

Então, a noite nós fomos para o Montjüic de Nit, uma festa que a gente acha que faz parte do Grec’08 (uma espécie de Festival de Verão que acontece todos os anos em Barcelona, com apresentações de Teatro, Música, Dança, Exposições, etc.), onde TUDO o que tem de cultural para se fazer no Montjüic fica aberto em horário especial, a noite, e de graça!
Começando às 20h e indo até as 3h da manhã.
Dependendo do local, a função terminava antes das 3, mas mesmo assim eram muitas as atividades, e tivemos que eleger algumas para ver.
Não conseguimos ir ao Jardim Botânico contemplar as estrelas, por exemplo, mas fizemos muitas outras coisas beeeem legais, que conto abaixo!

Bem, começamos pelo começo, e fomos ao Palácio do Montjüic, mais conhecido por MNAC – Museu Nacional d’Art de Catalunya, que só havíamos visto de fora, e resolvemos entrar, já que não tinha que pagar mesmo... e, para minha surpresa, de pessoa meio disinformada (sim, pq quando fomos nos “empadronar” essa semana, e eu peguei uma revista sobre o Grec’08, o Rômulo nem sabia o que era o Festival... mas foi ele quem descobriu a Noite Mágica do Montjüic hoje) a mesma exposição que a Luísa e o Marco viram em Londres, no TATE Modern, está aqui, no MNAC:
Duchamp, Man Ray e Picabia, de graça hoje à noite (a Lu ia querer me matar se eu não tivesse ido).
Começamos a exposição pelo final, e aí, quando estávamos esperando a muvuca baixar na frente da Gioconda de bigode, eu olho para o lado e vejo uma menina que me lembrou a Luísa... e aí, eu continuo olhando, e me dou conta de que conheço ela!
E não é que eu conhecia mesmo? Era a Ione, que se formou comigo em PP na PUCRS.
Muito engraçado isso, de encontrar colegas de faculdade nas cidades que eu vou morar, assim, uma semana depois de ter me mudado...

A gente até combinou de se encontrar de novo, para aproveitar o resto da noite, com as outras inúmeras atrações, mas cada um foi para um lado do museu, e infelizmente não nos encontramos mais.

Ok, vimos a exposição, onde eu vi que teria me arrependido de ter pago para ir em Londres... porque eu sinceramente não achei nada de mais.
Ainda bem que nem todo mundo gosta das mesmas coisas, senão o mundo seria todo igual, mas eu prefiro os Impressionistas e Renascentistas do que os Dadaístas... simples assim.

Depois de vermos a exposição, demos uma volta pelo Palácio, que é muito bonito por dentro, e tem uma lojinha de museu que não fica devendo em nada aos de Londres.
Me encantei com um Moleskine do Museu Van Gogh, que o Rômulo disse que era para eu comprar no Museu Van Gogh, quando formos a Amsterdam, e acho que ele tem razão!
Saímos do museu para vermos o Show das Águas Dançantes, nas fontes do Monjüic. Achei que no dia de Reis estava mais bonito, porque as fontes das laterais da Av. Reina Izabel também estavam ligadas, mas mesmo assim, é muito legal ver as águas dançarem ao som de músicas clássicas (algumas de filmes) toda iluminada!

Quando cansamos de ficar ali olhando (o espetáculo durava umas 2h), fomos ao Estádio Olímpico, que ainda não havíamos visitado. Estava tendo um Show meio chato lá, e olhamos a parte interna do Estádio por um portão, e resolvemos ir ao Poble Espanyol, onde teria uma apresentação de Homens Chineses, e depois seria aberto um Dancing na praça central.
Como a gente gosta muito do Poble, resolvemos ir, já que era uma oportunidade de entrar lá sem ter que pagar ingresso.
Estava super cheio, com os restaurantes lotados, o pessoal se divertindo, e esperando a festa começar. Mas não conseguimos encontrar a apresentação dos Chineses.
Encontramos sim um casamento, mas não nos deixaram ser penetras na festa!

Como nos entediamos rápido, e não estávamos com vontade de esperar pela festa, que ia demorar ainda 1h para começar (a festa começava a meia noite), resolvemos ver qual era a da Rumba no fosso do Castelo (sim, no morro tem o Palácio que virou museu, e um Castelo medieval do outro lado).

Pegamos o ônibus, que também era de graça, e rumamos ao Castelo. A rumba estava bombando, mas era um palco, com um show, e todo mundo sentadinho na grama assistindo. Eu pensava que ia ser uma coisa tipo uma festa mesmo, com as pessoas dançando Rumba... ledo engano.
E como não dava nem para aproveitar a vista do Castelo, porque baixou uma neblina forte em Barcelona essa noite, resolvemos ir a outro lugar que queríamos conhecer sem pagar: o Espaço Miró.

Sim, eu também não curto muito o Miró, assim como gosto de Dalí e do Gaudi, e esta era uma ótima oportunidade de ver o museu. Pegamos o ônibus de novo, e rumamos para lá.
Porém, havia uma fila IMENSA para entrar no museu. E como a gente nem gosta tanto assim de museus e de Miró, resolvemos ir para outro lugar que queríamos muito conhecer, o Teatre Grec.

Para chegar ao Teatro, que fica atrás do museu, fomos por um Jardim LINDO, que não me recordo o nome agora, e onde quero voltar durante o dia, pois é muito bonito.
Finalmente conseguimos entrar no Teatro, que é simplesmente tão lindo quanto o Jardim esse... na verdade parece uma continuação, e tem uma entrada para o Teatro pelo Jardim, mas que estava fechada essa noite.
Havia tipo um lounge no jardim que é o Foyer do teatro, com tendas vendendo comidas e bebidas (uma da Coca-Cola, outra da Nescafé, e uma terceira da cerveja San Miguel), com mesinhas e cadeiras para o pessoal relaxar.
A banda que estava se apresentando tinha um som bem legal, que se ouvia por todo o Jardim, e que tentamos assistir no Teatro, mas estava tão cheio, que mal enxergávamos o palco por trás das pessoas que se aglomeravam em pé atrás da arquibancada. (Nota: o teatro é bem estilo grego. Explicando para quem não conhece: é tipo uma arena, a céu aberto, onde os “bancos” e o palco são de pedra).
Ali no Teatro tem um restaurante, com mesinhas ao ar live, muito bonito e com um astral muito legal, onde a gente já decidiu que vai aproveitar para a próxima comemoração que tivermos.

A esse ponto, já era mais de 1h da manhã, e estávamos bem cansados, de toda a caminhada que fizemos, desde as 8h da noite, quando saímos de casa.
E como a festa ia ainda até as 3h, resolvemos dar a noite por encerrada, e rumamos um longo caminho ainda, até o metrô.

Ah, esqueci de comentar sobre as pessoas que freqüentam essa noite no Montjüic, que tem todo ano!
Tem muitos turistas, principalmente Americanos e Brasileiros, mas tem também muitos Catalães. Famílias com bebês, idosos, gurizada, grupos de amigos, turistas ou não, todos aproveitam essa noite mágica, onde se tem muito para fazer e aproveitar com o calor.

E até São Pedro foi bacana e só mandou a chuva, que se aproximava cada vez mais, após a festa acabar.

terça-feira, 1 de julho de 2008

Barcelona, 1o/07/2008

FELIZ ANIVERSÁRIO para a minha mãe!

E a partir de hoje, temos ar-condicionado!

Sim, porque essa cidade é quente, bem quente... e úmida, como Porto Alegre... e o apartamento tem 2 janelas, mas ambas do mesmo lado, o que não permite muito a circulação do ar.

Ah, e temos vizinhos... muitos vizinhos... e vizinhos barulhentos!

E com o calor, tínhamos que dormir com janelas abertas, ouvindo tudo o que se passava ao nosso redor, acordando de tempos em tempos, cada vez que algum barulho diferente ou mais alto acontecia.

É um ouvindo música bem alta, é outro assistindo filme em seu potente home theatre, a festa de aniversário no prédio da frente, o neném que acorda chorando a cada cena de ação do filme do potente home teatre, as motinhos que passam zunindo na rua, e que parece que estão dentro do teu ouvido...

Enfim, teremos ar geladinho, e bem menos barulho, com as janelas fechadas!

Barcelona, 26/06/2008

Finalmente: Temos Casa!!!

Ok, hoje fomos assinar o contrato do microapartamento-ambientetotallyIKEA que a gente conseguiu encontrar nessa cidade impossível de se alugar uma coisa decente sendo recém chegado.

Assinamos o contrato no próprio AP, onde já pegamos as chaves, e para onde amanhã nos mudaremos.

O Rômulo havia visto o apartamento sozinho, e eu só conhecia por fotos.
Ele é um pouco menor do que eu imaginava, mas é todo novinho e bonito.
Recém reformado, e seremos os primeiros a morar nele, ou seja, ap 0km.

As paredes são amarelo queimado (cor que desgostamos, mas que nesse apartamento senta bem), temos uma mesa alta, com 2 lugares, uma cozinha micro, bem bonitinha, uma caminha confortável, um sofazão novíssimo, e muitos, muitos abajours!
Sim, não sei o que o decorador desse ap tinha na cabeça, pra achar que alguém precisaria de tantas lâmpadas em um lugar tão compacto e com boa iluminação.
Temos muitos quadros também, alguns que eu gostaria muito de dar chá de sumiço, mas que não incomodam tanto assim, então vão ficar.

Uma coisa ótima, é que ele é completamente equipado, com louça, copos, talheres, lençol e toalha de banho. O que nos dá conforto e tempo, até que as nossas coisas cheguem da Inglaterra em suas caixinhas.